Convidado #6: Parque Natural de Monte Gordo

Lindaci Oliveira é natural da Vila da Ribeira Brava e é directora do Parque Natural do Monte Gordo desde 2008. Conta com uma equipa de 10 colaboradores, que trabalham diariamente para a preservação da biodiversidade do parque. Deu-nos a conhecer alguns dos endemismos da ilha e falou-nos abertamente de um dos seus maiores desafios: a prevenção e combate a incêndios.

 

1. Porque é que a área do Parque é considerada uma referência a nível dos ecossistemas húmidos de montanha da ilha de São Nicolau?

Esta área é dotada de uma variedade de tipos de habitats, incluindo a maior comunidade de tortolho de Cabo Verde (zona de tortolhedo). Pela grande concentração de endemismos de Cabo Verde, de São Nicolau, 56% dos endemismos da ilha podem ser encontrados no parque, como a Medronha ou Mato-botão (globularia amygdalifolia), Macela-do-gordo (asteriscus smithii), Marcelinha (conyza varia) e Curcabra (periploca chevalieri).

 

 
Dragoeiro (Dracaena draco subsp.caboverdeana) & Medronha (Globularia amygdalifolia)
Créditos Fotográficos: Ivani Duarte
 

 

2.Que valências tem o Parque actualmente?

O Parque divide-se em três departamentos: o Departamento de Desenvolvimento Comunitário que fomenta o associativismo e é responsável pela promoção e desenvolvimento de actividades geradoras juntos das comunidades; o Departamento de Seguimento Ecológico, que tem a responsabilidade de acompanhar todo o processo de desenvolvimento da biodiversidade do parque através do plano de monitorização; e por fim, o Departamento de Ecoturismo com a responsabilidade de desenvolver e promover o ecoturismo no parque. Transversalmente a todos os departamentos, desenvolvem-se actividades de educação ambiental com os alunos de toda a ilha, procurando trabalhar localmente com as comunidades do parque.

 

3.Das espécies de flora e fauna inventariadas no Parque, quais merecem mais atenção e proteção?

Em termos de flora, a Macela-do-Gordo (Asteriscus smithii) pelas suas características e por ser endémica do Monte Gordo, tem recebido atenção especial, uma vez que a sua produção em viveiro e respectiva taxa de sucesso tem sido baixa em relação as outras espécies. Em termos da fauna, o número de indivíduos de Tchota-de-cana ainda é considerado baixo, porque durante muitos anos esta ave foi considerada extinta.

 

Macela-do-gordo (asteriscus smithii) & Tchota-de-cana
Créditos Fotográficos: Ivani Duarte

 

4.Qual o maior desafio que enfrentou até hoje na gestão do parque? E porquê?

O maior desafio tem sido a prevenção e o combate a incêndios. As adversidades climatéricas tem tido um impacto na conservação do parque. São factores que indirectamente se tentam mitigar, mas que directamente não se tem o poder de alterar com algumas acções.

Já em casos de acções antrópicas, nomeadamente a prática de queimas (queimadas) nas zonas vizinhas e mesmo junto às florestas, são acções que devem ser evitadas. Para isso acontecer, há que se trabalhar na mudança de práticas dos nossos agricultores e não só. Um incêndio em pouco tempo tem o poder de alterar todo o processo natural dos ecossistemas do parque.

 

Chã do Monte Gordo
Créditos Fotográficos: Ivani Duarte

 

5.Ainda sobre esta questão, em Marçode 2020 ocorreu um incêndio que devastou pelo menos quatro hectares de terreno do Parque. Que acções foram reforçadas para prevenir nova ocorrência?

Foi realizado o reforço da limpeza de invasoras, diminuindo assim o material lenhoso e consequentemente o material combustível. Foi também realizado um trabalho de sensibilização junto das comunidades, no sentido de dimunuirem a prática de queimas. Para além disso reforçaram-se, junto dos visitantes, as recomendações sobre as boas condutas dentro do parque, nomeadamente a proibição de fumar.

 

6.O Parque tem um plano de reflorestação anual?

Sim, todos os anos são produzidas plantas em viveiro, e são introduzidas em zonas identificadas pela equipa do Departamento de Seguimento Ecológico.

 

Acção de reflorestação que integrou o Meetup Trekking Saniclau 2020

 

7.Diria que após a eleição do parque como uma das 7 maravilhas de Cabo Verde, o número de visitantes tem vindo a aumentar significativamente?

Sim, esse número tem tido um aumento, ainda que pouco significativo.

 

Gostaria de participar nas acções anuais de reflorestação do Parque?

Clique aqui.

  Partilhar


pt_PTPT